segunda-feira, abril 11, 2005

Desistência

Pois é! Tio Zé, dê baixa de mim!

Por muita pena que tenha, por muito que me custe, tenho de desistir desta viagem! A Minha mãe vai ficar com pena, mas não posso, mesmo. Há momentos em que não somos nós que mandamos na vida, é ela que manda em nós. Eu estou a atravessar um desses malvados períodos.

Ficarei, tal como o Pedro, a aguardar as vossas fotografias. Quando derem uma trincadela em deliciosos petiscos, quando virem estrelas a brilhar no céu transmontano, quando cantarem cantigas das dos Natais de outrora, por exemplo, a «terra alheira», pensem nos pobres, como nós, que ficam, entre trabalhos e obrigações, a lamentar-se de não terem ido.

Façam boa viagem e contem como foi...

Sem comentários: